quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Tim Duncan é melhor que Kobe, segundo Kareem Abdul-Jabbar

Duas lendas da NBA

   O maior cestinha da história da NBA, Kareem Abdul-Jabbar disse a Tyler Cowen da Universidade de George Mason, na semana passada que a lenda do San Antonio Spurs, Tim Duncan teve uma carreira melhor que do ala Kobe Bryant dos Lakers.
   "Eu diria que Tim Duncan teve uma carreira melhor somente porque foi capaz de ganhar de forma mais consistente, e eles não tiveram que confiar no Tim o tempo todo". -disse Abdul-Jabbar segundo a ESPN. 
   A disputa entre Kobe e Duncan é apertada, ambos tem cinco anéis (mas Duncan ainda pode ganhar mais um antes de se aposentar), Kobe tem mais pontos, enquanto Duncan tem vantagens em rebotes e prêmios de MVP (2 a 1). Não existe nenhuma resposta certa, mas Abdul-Jabbar prefere Duncan.
   "Kobe tem usado o seu corpo. Ele tem apenas 36 anos e seu corpo não aguenta mais. Está caindo aos pedaços por causa do stress, do que tinha que fazer, assumindo uma carga, mas ele queria fazer assim. Foi isso que aconteceu".
   Eu particularmente prefiro Kobe, o seu estilo de jogo e tudo que fez, é o segundo melhor da história, só perde pro Jordan. E Tim Duncan pode ter sido o melhor ala/pivô da história, mas nunca melhor do que Kobe. Kareem Abdul-Jabbar foi bem polêmico com a declaração, queimando um Laker como ele.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Heróis do passado: Peja Stojakovic

Kings foi onde mais brilhou
   Hoje nossa série ira relembrar a carreira de um estrangeiro que fez sucesso, muito conhecido por sua eficiência nas bolas de três. Contaremos a história de Peja Stojakovic, de descendência Sérvia mas nascido na Iugoslávia que fez muito sucesso na NBA, principalmente no Sacramento Kings.
   Sua carreira no basquete começou aos 15 anos, quando começou a jogar no KK Crvena zvezda, onde atuou por duas temporadas como profissional e foi campeão nacional uma vez. Aos 16 anos mudou-se para Grécia, jogando no PAOK, ele atuou inclusive contra seu futuro treinador, Byron Scott que estava encerrando sua carreira como uma das estrelas do Panathinaikos. Na sua última temporada com o PAOK, Peja teve médias de 23.9 pontos, 4.9 rebotes, 2.5 assistências, e 1.2 roubos de bola na Liga Grega e 20.9 pontos, 3.6 rebotes e 1.5 roubos de bola na Euroliga.
Mavs e seu único título
   A carreira na NBA começou em 1996, quando foi a 14° escolha do Draft pelo Sacramento Kings. Ainda assim, ele continuou na Grécia e somente assinou no lockout da temporada 1998/99. Depois de duas temporadas no banco, ele foi titular na temporada de 2000/01 com médias de 20.4 pontos e 5.8 rebotes com 40% de aproveitamento das bolas de três. Nessa temporada ficou em segundo na eleição para MIP. Nas duas temporadas seguintes foi All-Star, participando do concurso de três pontos e sendo o campeão nas duas ocasiões. A temporada de 2003/04 foi novamente All-Star, foi o segundo cestinha da liga, ficou em quarto na votação para MVP e foi eleito para o All-NBA Segundo Time, além de ser o líder da liga no percentual de lances-livres (93,3 %) e bolas de três feitas (240). 
   Em 2006 foi trocado por Ron Artest, indo para o Indiana Pacers, ele perdeu os quatro jogos dos Playoffs contra o New Jersey Nets. Ao final da temporada assinou novamente com os Pacers, somente para ser negociado para o New Orleans Hornets pelos direitos de Andrew Betts. Em novembro de 2006 tornou-se o primeiro jogador da história da NBA começar uma partida com 20 pontos consecutivos, anotando sua marca mais alta da carreira de 42 pontos. Ele ficou muito tempo fora das quadras, principalmente por uma lesão nas costas. 
   Em 2010 chegou ao Toronto Raptors juntamente com Jerryd Bayless, depois de atuar em apenas duas partidas foi dispensado. Ele havia perdido 21 partidas por uma lesão no joelho esquerdo. Em janeiro de 2011 ele assinou com o Dallas Mavericks, sendo campeão da NBA, com médias de 7.1 pontos por jogo nos Playoffs. No mesmo ano, em dezembro anunciou sua aposentadoria por problemas no pescoço e costas que lhe impediriam de seguri jogando.
Reocnhecimento
   Com média de 17 pontos por jogo na carreira e 1760 bolas de três convertidas, a carreira de Stojakovich o tornou um astro reconhecido, tendo o seu número 16 aposentado pelos Kings. Ele foi 1 x campeão da NBA, 3 x All-Star, 1 x All-NBA Segundo Time, 2 x Campeão dos arremessos de três. COm uma carreira sólida na liga, merecia o nosso reconhecimento e a pequena homenagem.


sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Rumo as 20 temporadas

Lenda

   Vince Carter quer seguir a longevidade demonstrada de Kobe e jogar mais duas temporadas, apenas três jogadores na liga são mais velhos que o ala do Memphis Grizzlies. Enquanto ele demonstrou a sua idade, nesses dois anos de Grizzlies, e os fãs nessa temporada festejam como se fosse a sua temporada de despedida, o jogador de 39 anos disse que não tem intenção de se aposentar. Ainda.
   "É um pouco estranho"- disse sobre a recepção que tem recebido nas arenas rivais para Ronald Tillery do Commercial Appeal. Carter está em sua 18° temporada, disse querer seguir os passos de Kobe, que está se aposentando ao final dessa temporada, a sua 20°.
   "Eu sou muito grato (pelo reconhecimento nas arenas). Não me leve a mal, mas eu planejo voltar. Eu apenas vou ano a ano nesse momento.  Eu não coloco um calendário nele. Não quero dizer: dois anos, e em seguida me falaram 'Bem é isso, certo?' Mas 20 anos seria legal".
   Em 31 partidas para os Grizzlies nessa temporada, o veterano oito vezes All-Star tem médias de 4 pontos e 1.6 rebotes, com 35,2% de aproveitamento dos arremessos e 28,4% das bolas de três. Seus dois últimos jogos, ambos em vitórias do Memphis, anotou 26 pontos em 10/14 tentativas de arremesso e 5/8 das bolas de três, as melhores atuações de sua temporada. 
   Ainda assim, seu futuro é incerto, Air Canada possuí mais um ano de contrato com os Grizzlies, mas a equipe tem uma opção de compra por 2 milhões de dólares para o último ano do acordo. Embora eles valorizem o QI de basquete, experiência e liderança, não se sabe se eles irão pagar o equivalente a 4 milhões e 200 mil dólares para a temporada 2016-17. Tomara que sim, mesmo não sendo mais o cara explosivo de antigamente, Vince Carter é um dos grandes nomes que a liga teve, se bobear o melhor dunker da história, quanto mais ele jogar mais o basquete agradece.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Slam Dunk 2016

LaVine defenderá o título

   De acordo com Chris Haynes do Cleveland.com, o armador voador dos Minnesota Timberwolves, Zach LaVine irá defender o título do torneio de enterradas do ano passado.
   Nesse ano, o armador de 20 anos competirá contra Andre Drummond do Detroit Pistons, Will Barton do Denver Nuggets, e Aaron Gordon do Orlando Magic. A NBA fará o anúncio oficial ainda hoje, logo mais. O campeonato de enterradas será no sábado dia 13 de fevereiro no Air Canada Centre.
   A competição parece que será boa, LaVine é um monstro, teve um dos melhores desempenhos que já se viu no torneio de enterradas e vem pra defender o título, acredito que com coisas novas, pelos vídeos que fez durante o ano. Will Barton é um cara que salta muito e é bem atlético, tem feito enterradas impressionantes em jogos e colocado muita gente em posteres. Andre Drummond, acho que é o candidato mais fraco, é um pivô que salta bem, mas não se sabe o que esperar dele, provavelmente enterradas com muita força. E o último competidor, Aaron Gordon, é um cara que enterra com facilidade e consegue mesclar força e atleticismo, acho que será a maior ameaça de LaVine na competição.
   Vamos esperar por um bom torneio e que coisas novas aconteçam. Abaixo um vídeo de cada competidor:







terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Heróis do passado: Drazen Petrovic

Blazers deu a primeira oportunidade na NBA
   Nossa série vai relembrar a carreira de um grande estrangeiro, Drazen Petrovic, o Croata que fez sucesso no New Jersey Nets é o homenageado da vez.
  Filho de um policial e uma bibliotecária, Drazen teve o caminho aberto para o basquete graças a seu irmão mais velho Aleksandar. O basquete começou na sua vida aos 13 anos, nas categorias de base da sua cidade Sibenka, com 15 anos jogava na equipe principal, quando Sibenka ganhou uma vaga na primeira divisão nacional. Com Petrovic como a estrela da equipe, chegaram duas vezes as finais da FIBA Radivoj Korac Cuo, perdendo em ambas para o Limoges CSP.
   Após passar alguns anos cumprindo serviço militar, foi para Cibona para jogar com seu irmão, formando assim a melhor dupla da Europa. Na primeira temporada juntos, o Cibona venceu a Liga e o Campeonato Iugoslavo, bem como a Copa da Europa contra o Real Madrid com 36 pontos de Petrovic na final. No ano seguinte ganharam o europeu novamente, contra a equipe de Arvydas Sabonis, e mais uma vez venceu a Copa da Iugoslávia. Em 1987 venceu novamente a Copa da Europa, pela terceira vez. As médias de pontuação de Petrovic eram impressionantes, na liga Iugoslava era de 37.7 pontos e nas competições europeias de 33.8, com recorde pessoal de 112 pontos (40/60 arremessos, 10/20 de 3 pontos e 22/22 lances-livres) e 62 no campeonato europeu em três prorrogações.
   O atleta procurava um desafio que a liga Iugoslava não podia lhe dar, a NBA poderia, e o Portland Trail Blazzers já tinha usado a terceira escolha do Draft de 1986 para lhe escolher. Mas o atleta preferiu assinar com o Real Madrid em 1988, na época por uma bolada de 4 milhões de dólares, a polêmica foi instaurada na contratação pela idade de Drazen, 23 anos e segundo as leis esportivas iugoslavas precisara de 28 anos para a transferência. Com o Real Madrid na temporada de 1988/89 conquistou a Copa do Rei, e o Torneio das Taças empatando seus 62 pontos em competições europeias. Com apenas uma temporada na ACB, ele postou o recorde que permanece até hoje de 45 pontos e 8 bolas de três em um jogo das finais.
   Motivado pelo desafio e pressionado pelos Blazers, Petrovic começou sua carreira na NBA na temporada de 1989/90, a equipe de Portland valorizou Drazen como ala, mas tinham medo se ele teria velocidade de pés e velocidade para jogar como armador. Ele chegou como uma ameaça para bolas de três, foi um jogador agressivo que era usado para criar os seus arremessos e de seus companheiros de equipe. Infelizmente os Blazers tinham uma rotação completa de alas, com Clyde Drexler, Terry Porter e Danny Young como reserva, Drazen tinha seu tempo de jogo reduzido, com médias de 7.4 pontos em 12 minutos de jogo. Pra piorar na temporada seguinte, o veterano Danny Ainge chegou a franquia e o tempo de jogo de Petrovic caiu para 7 minutos. Após insistir, depois de 38 jogos, 20 dos quais não atuam nenhum período, ele foi trocado parando no New Jersey Nets.
Melhor momento da carreira
   Em 1991 ele chegava aos Nets, com médias de 12.6 pontos em 20.5 minutos por jogo, começava a mostrar do que era capaz. Na temporada seguinte, junto com Derrick Coleman e Kenny Anderson, conseguiu fazer a equipe chegar aos Playoffs e vencer 14 partidas a mais que na temporada passada, com médias de 26 pontos e 51% de aproveitamento. Na temporada de 1993,  aumentou sua média de pontos para 22.3 pontos, 11° melhor da liga, com 52% de aproveitamento de 45% das bolas de três, e ainda assim não foi selecionado para o All-Star Game.
   Após a temporada encerrada com a eliminação nos Playoffs para o Cleveland Cavaliers na primeira rodada, Petrovic viajou para Polônia para disputar uma classificatória para o Eurobasket de 1993. Ele estava querendo deixar os Nets, decepcionado com os colegas invejosos, e com os Nets que não tinham renovado o seu contrato, Petrovic estava indignado com a falta de reconhecimento da liga. Ele estava querendo ir jogar na Grécia e dizia-se que tinha um acordo verbal com o Panathinaikos, mas infelizmente morreu em um acidente de carro onde era passageiro, um caminhoneiro perdeu o controle e atravessou para a pista em que estava o carro com Drazen que morreu na hora, ele estava sem cinto.
   O maior destaque que teve na NBA foi ser All-NBA Terceiro Time em 1993, teve o seu número aposentado pelos Nets, mas seus números eram impressionantes, se não tivesse falecido provavelmente seguiria em evolução. Foi 2 x Campeão Europeu, 4 x Campeão Euroscar, 2 x Mr. Europa, MVP do Campeonato Mundial, Melhor Jogador da Iugoslavia, Iugoslavia Sportsman do Ano, Croacia Sportsman do Ano, MVP do Eurobasket, eleito um dos 50 melhores jogadores da história FIBA, faz parte da história do basquete mundial e merecia nossa homenagem.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Esqueceram de mim

Esqueceram de mim 2, o tema de Damian Lillard no All-Star Game

   Assim como em todos os anos, pelo menos um jogador que merecia fica de fora do All-Star Game, e nessa edição em Toronto não será diferente. O mais interessante nesse ano será um cara que foi esnobado no ano passado. Trago aqui uma lista com cinco dos principais nomes elencados por John Chick, do site The Score.
   Damian Lillard do Portland Trail Blazers foi esquecido novamente, ele que joga em uma equipe em reconstrução, mas que mesmo assim está chegando aos Playoffs. Na temporada passada Lillard ficou de fora do All-Star Game, mas com a lesão de Blake Griffin foi chamado para ocupar a vaga na equipe do Oeste.
Dirk Nowitzki, o futuro Hall da Fama nascido na década de 1970 é mais uma vez o melhor jogador do Dallas Mavericks. Aos 37 anos ele é o líder do surpreendente Maverciks, em algumas de suas estatísticas nessa temporada superam os números de 2014-15.
   DeAndre Jordan, o pivô do Los Angeles Clippers lidera a liga em aproveitamento nos arremessos, é o segundo em rebotes por jogo e porcentagem de rebotes, e é o terceiro da liga em tocos. Após todo o fiasco da agência livre, onde os Mavericks tentaram fazer dele a primeira opção, o grandalhão nunca foi um All-Star. Para um jogador com 70% de aproveitamento dos arremessos, com médias de 10 pontos e 14 rebotes de uma equipe contender nos últimos três anos, ele se destaca.
   Reggie Jackson, o armador do Detroit Pistons é um dos desprezos que não são comentados na Conferência Leste, já que para a maioria dos esquecidos dessa conferência se comentam. Depois de problemas iniciais na chegada em Detroit, o armador floresceu em uma estrela para a franquia colocando a equipe na sexta posição da conferência.
   Kemba Walker, o único jogador constante no terrível Charlote Hornets, o jogador está tendo números impressionantes, anotando nesse mês partidas de 52 e 40 pontos, ainda assim foi esquecido.
   Votação é votação, é isso ai, as vezes quem tem mais popularidade na liga consegue mais destaque.

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Kerr elogia Kawhi Leonard: o melhor nos dois lados da quadra

Elogiado por Kerr
   Mesmo com um elenco cheio de bons jogadores nos dois lados da quadra (ataque e defesa), motivo pelo qual os Warriors são o primeiro em ataque e terceiro em defesa.
   Kerr possui em seu elenco Draymond Green, um cara que sabe fazer triplos-duplos e equiparou suas habilidades defensivas e ofensivas. Mas mesmo assim, Kerr disse que Kawhi Leonard é provavelmente o melhor da liga nesse sentido. 
   "Falamos sobre jogadores bidirecionais e como são importantes, especialmente na NBA moderna, onde você não pode esconder um cara em uma das extremidades. Ele é provavelmente o melhor jogador de duas vias da liga".-  disse Kerr a CSN Bay Area.
   É complicado debater quem é melhor, se Green ou Leonard, para Kerr o ala dos Spurs é um jogador difícil de ser parado. "Você tem que lidar com ele de todas as maneiras possíveis. Ele é um terror na quadra de defesa, e ofensivamente ele está ficando cada vez melhor. Seu arremesso de três é muito, muito bom. Ele é tão forte que pode pontuar perto da cesta. Ele é um grande jogador, e de forma lenta seguramente vai ajudar sua equipe de muitas maneiras".
   Mas isso pode ser dito de Green também, ele é um terror na defesa e melhorou a ponto de ter 41% de aproveitamento das bolas de 3, e Kawhi que tinha um arremesso tuim tem 48% de aproveitamento. Kawhi tem médias de 22 pontos, 7.5 rebotes, 3.8 assistências, 2.1 roubos de bola e 1 toco, enquanto Green tem médias de 15.3 pontos, 9.9 rebotes, 7.6 assistências, 1.4 roubos de bola e 1.4 tocos. 
   De qualquer forma, ambos tem uma temporada excelente e ajudam muito suas equipes, eu gosto dos dois jogadores e teriam ambos em minha equipe se fosse GM.