quarta-feira, 1 de julho de 2015

O mais bem pago da história


   Anthony Davis acaba de entrar para a história da NBA, com sua renovação milionária, tornou-se o atleta mais bem pago da liga. Hoje, primeiro dia possível para negociações, os Pelcians renovaram o contrato com o ala/pivô por nada mais, nada menos que US$ 145 milhões (450 milhões de reais) por cinco anos .
   Em seu twitter Davis falou: "New Orleans, eu estou aqui para ficar". Na temporada passada Davis alcançou marcas significativas, além de brigar para ser o MVP no começo da temporada (antes de se machucar), levou sua equipe aos Playoffs quase sozinho, igualou Kareem Abdul-Jabbar, Bob McAdoo e Wilt Chamberlain como únicos jogadores da história a ter médias de pelo menos 30 pontos e 10 rebotes nos quatro primeiros jogos de playoffs da carreira.
   Infelizmente não conseguiu levar o time longe nos Playoffs, foi varrido pelos campeões Golden State Warriors na primeira rodada. Mesmo assim, liderou a NBA em tocos (2,94 por jogo), foi o 4° maior cestinha da liga (24.4 pontos por jogo), 7° no percentual de arremessos com 53,5% e o 8° em rebotes com 10.2.
Davis ainda é um jovem atleta e tem um futuro brilhante pela frente, legal é ver que ele optou por ficar nos Pelicnas, se quisesse teria vaga em qualquer time da liga e poderia facilmente vencer um campeonato. Mas aparentemente o vínculo que criou com New Orleans fala mais alto e deve ser o eterno franchise player.
   Com certeza Davis vale o investimento, eu o vejo como um super astro da liga, tomara que não seja mais um dos grandes jogadores da história a não ser campeão da NBA. Ele tem uma forma física invejável e esta em constante evolução, se conseguir se manter saudável com tudo na liga esse ano e será um forte candidato ao título de MVP. 

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Nuggets cogita trocar suas picks


   O Denver Nuggets está cogitando trocar as suas escolhas do Draft, mas será que valerá a pena? E se os jovens vingarem na liga e elevarem o basquete da equipe?
   Tim Connelly disse: "Queremos ser agressivos. Estamos olhando para tudo e todos os cenários possíveis e nós já fizemos proativamente muitas dessas chamadas. Vamos ver o que podemos fazer para tornar interessante e espero dar ao treinador a melhor equipe possível."
   O Nuggets poderia ter decidido entre vários jogadores na 7° escolha, tais como Justise Winslow, Willie Cauley-Stein, Mario Hezonja, Devin Booker, Cameron Payne e Stanley Johnson. 
"Eu acho que temos feito um bom trabalho no tempo em que estive aqui, tivemos a leitura para o Draft, quem vai para onde e quem vai ficar para nós. Acho que nos sentimos bem sobre o nosso grupo alvo, estamos indo para tentar conseguir um desses caras. Agora só temos que escolher esses três ou quatro caras mais separadamente, e ter certeza que não perdemos nenhum detalhe".
   Não sei qual a intenção real dos Nuggets, ao escolher Emmanuel Mudiay na 7° posição me parecia certa a saída de Ty Lawson, que a algum tempo atrás já era especulado para uma eventual troca. A escolha de número 57 foi um ala, Nikola Radicevic, jogador do Sevilla, bom atleta e que pode vingar na liga, mas é uma aposta. Essa troca pode ser boa para o Nuggets se conseguirem bons jogadores, pois acho que Mudiay se bem treinado será um ótimo armador da liga. Vamos esperar as movimentações.

domingo, 28 de junho de 2015

Heróis do passado: John Stockton

O líder da história em assistências
   Hoje a nossa série vai homenagear um dos melhores armadores da história, o cara é o líder de todos os tempos da NBA em assistências e era o cérebro do Utah Jazz. Vamos relembrar hoje a carreira de John Stockton.
   O armador começou a sua carreira jogando no ensino médio por Gonzaga Prep, onde graduou-se em 1980, após quebrar o recorde de pontuação da cidade. Depois de considerar ofertas de Don Monson de Idaho e Mike Montgomery de Montana, ambos da Conferência Big Sky, Stockton decidiu ficar em Spokane e jogar para Dan Fitzgerald da Universidade de Gonzaga. Ele se tornou o terceiro da geração da sua família a jogar em UG, seu avô Houston Stockton era um jogador de futebol bem conhecido na década de 20. Fitzgerald também foi o diretor de esportes, se afastou por quatro anos dos treinamentos após o primeiro ano de Stockton, promovendo o assistente jay Hillock a treinador principal.
   Durante seu último ano com os Bulldogs, em 1984, John Stockton teve médias de 20.9 pontos, com 57% de aproveitamento dos arremessos. O Zags chegou a um recorde de 17-11, o melhor em 17 anos, e Stockton liderou a Costa Oeste da Conferência Atlética em pontos, assistências e roubos de bola. Ele foi um dos 74 universitários convidados para a seletiva para a seleção olímpica de 1984, treinada por Bob Knight. Stockton passou no primeiro corte, para os 20 finalistas em abril, mas foi cortado em maio (junto com Charles Barkley, Terry Porter e Maurice Martin) no penúltimo corte para 16 jogadores. Mesmo não sendo selecionado para a seleção, foi a primeira vez que teve contado com seu futuro amigo e companheiro de Jazz, Karl Malone.
   A sua carreira na NBA começou em junho de 1984, quando selecionado pelo Utah Jazz na 16° posição do Draft. Desconhecido relativamente durante sua carreira universitária, seu estoque aumento nos meses que antecederam sua escolha. O anúncio de sua seleção para os milhares de fãs reunidos no Salt Palace foi recebido com um silêncio atordoado. 
   Stockton tem na carreira médias de duplo-duplo com 13.1 pontos e 10.5 assistências, detêm o recorde da NBA de todos os tempos em assistências (15806) com uma margem de 3000 para o segundo colocado, assim como o recorde de maior roubos de bola na carreira (3265). É líder de cinco das seis maiores médias de assistências em uma temporada da NBA. Detêm o recorde da NBA para mais temporadas, jogos, e jogos consecutivos com uma equipe e é o terceiro em partidas jogadas. Perdeu apenas 23 jogos em toda sua carreira, sendo 18 deles em uma temporada, e em 38 partidas anotou 20 ou mais assistências. 
   John Stockton foi 10 x All Star, foi o co-MVP de 1993 junto com seu companheiro de equipe Karl Malone. Jogou nas seleções olímpicas de 1992 e 1996, os primeiros esquadrões olímpicos com jogadores da NBA, mantendo a bola em ambos jogos da medalha de ouro. Foi 2 x All NBA First Team, 6 x All NBA Second Team, é um dos cinquenta melhores jogadores da história. Infelizmente nas duas vezes em que chegou as finais da NBA perdeu para o Bulls de Michael Jordan, sendo que na final de 1998 perdeu um arremesso de três a 5.2 segundos do fim que poderia dar a vitória aos Jazz, e após o jogo disse na entrevista que acreditava que aquela bola ia entrar.
   Stockton e Malone atuaram por muitos anos juntos, completando 1412 partidas, muitas das assistências de Stockton foram para Malone. Ele era chamado de old school, pelo seu jogo físico e os fãs o consideravam um dos jogadores mais duros da NBA atrás apenas de Karl Malone. Seu uniforme com shorts curtos é notável, ele foi o último jogador da NBA a usá-los, mesmo quando os demais usavam calções largos. Ele era reservado, em entrevistas e na forma de se vestir, utilizando sempre roupas discretas.
Stockton e sua estátua
   No dia 2 de maio de 2003 anunciou sua aposentadoria com um comunicado. Mais tarde o Jazz realizou uma cerimônia de aposentadoria, e batizou a rua em frente a seu ginásio de John Stcokton Drive. Stockton veio a declarar que mesmo ainda gostando de seu jogo, sua família crescente o fez sentir que enquanto estava sentado no quarto de hotel esperando o jogo, ele estava perdendo o que acontecia em casa. Ele teve o seu número aposentado em 2004, e possuí uma estátua em sua homenagem na frente do estádio do Jazz, juntamente com uma estátua de Karl Malone. Em 2009 entrou para o Hall da Fama do Basquete, e até hoje é considerado como um dos melhores atletas da história a não ter vencido um campeonato da NBA.

Hardaway por Jennings, será?

De malas prontas?
   No dia 22 de junho o técnico e executivo dos Pistons, Stan Van Gundy afirmou que nunca conversou com  os Knicks sobre o negócio Hardaway-Jennings, tweetou Keith Langlois do Pistons.com. 
Uma pessoa com conhecimento em primeira mão dos Pistons, disse a Vince Ellis do Detroit Free Express, que não há nenhuma conversa envolvendo Hardaway e Jennings. 
   Os Pistons tem conversado com os Knicks sobre uma negociação com Tim Hardaway Jr., fontes da liga, segundo Ian Begley do ESPNNewYork.com, que escreveu bastante sobre Kevon Looney, sugere que os Pistons gostariam de enviar Brendon Jennings, de tal acordo, embora não seja claro se realmente é isso, ou se os Knicks estariam dispostos a assumir o armador que ainda está se recuperando de um tendão de Aquiles rompido, pelo menos, sem receber ninguém ativo de volta. 
   Hardaway tem se mostrado promissor nas últimas duas temporadas desde que os Knicks o selecionou na 24° posição em 2013, com média de 10.8 pontos com 35,3% de aproveitamento em 23.5 minutos por jogo. Ele melhorou ligeiramente na temporada passada, quando começou em 30 dos 70 jogos que participou. Não está claro se os Pistons o vêem como um backup ou um concorrente potencial para Kentavious Caldwell-Pope para ser titular como ala.
Voltando de lesão e trocando de casa?
   A escala de salário de novato de menos de US$ 1.305 milhões de Hardaway vai receber na próxima temporada é quase nada comparado aos US$ 8.345 milhões que Jennings está para ganhar. Os Knicks não tem uma exceção de comércio grande o suficiente para Jennings, então teriam que adicionar outro salário para uma troca Jennings-Hardaway, se ela ocorrer antes de 30 de junho.    No entanto, ambas equipes estão prontas para abrir cap em julho, para poder fazer a troca um por um já que ambas equipes estariam abaixo do cap, sem ter que se preocupar com uma harmonização do salário. Não seria surpreendente se as escolhas dessa semana do Draft fossem envolvidas na troca, os Knicks tem tido muitos rumores de interesse na troca de sua 4° escolha pela 8° dos Pistons. 
   Se realmente as escolhas do Draft forem envolvidas, acho que os Knikcs fariam um excelente negócio, pegando um armador muito bom (Jennings) e um ala de futuro promissor (Stanley Johnson), só nos resta esperar para ver se isso tudo era apenas um rumor

sexta-feira, 26 de junho de 2015

TOP 5: análise das escolhas


   Como a maioria já deve saber, ontem a noite foi o Draft da NBA e nesse post vou dar meus pitacos sobre as cinco primeiras escolhas. Vamos lá.

Pick 1: Karl Anthony Towns para o Minnesota Timberwolves. Foi um escolha segura, nem ótima, nem uma surpresa, é um jovem atleta que tem um potencial enorme para crescer e ser um bom jogador da liga. Não sei se virá a ser um All Star, aparentemente não, mas é o jogador os Wolves necessitava, ao lado de outros bons jovens como Zach LaVine e Andrew Wiggins (Novato do ano), a franquia pode ressurgir nos Playoffs com o tempo. Se Towns vingar, ele pode vir a ser o substituto de Kevin Garnett.

Pick 2: D'Angelo Russell para o Los Angeles Lakers. A princípio esperava-se que Okafor fosse o escolhido, mas foi perfeita a opção por Russell, disparado o melhor armador disponível no Draft, vai melhorar em muito o ataque dos Lakers. Não podemos compará-lo a Magic, mas o último armador selecionado pelos Lakers virou uma lenda. Se conseguirem contratar LaMarcus Aldridge nessa off season, os Lakers já contam com um time titular de qualidade com Russell, Randle, Kobe e Aldridge, já dá para os torcedores ficarem mais alegres. Dos atletas do Draft esse é um dos que acho que vai ter sucesso na liga.

Pick 3: Jahlil Okafor para o Philadelphia 76ers. Uma escolha desnecessária na minha opinião, embora Jahlil Okafor seja um pivô quase perfeito, os Sixers já possuem jogadores para essa função e nos últimos dois Drafts selecionou atletas para a posição 5. Não entendo o porque de mais um pivô, seria melhor ter escolhido um ala ou armador, mas de qualquer forma, Okafor é um jogador pronto para a NBA, só precisa provar que consegue marcar caras maiores do que ele, algo que ainda não enfrentou em sua carreira. 

Pick 4: Kristaps Porzingis para o New York Knicks. A escolha mais surpreendente do Draft, o jovem foi vaiado pelos torcedores do Knicks presentes no Barclays Center. Mas eu acho que é uma aposta, o cara é um bom ala/pivô, arremessa bem, sabe driblar, bom marcador, eu vejo as vaias como uma falta de informação dos torcedores e desrespeito com o atleta, e como uma aposta do Phil Jackson. Porzingis tem tudo para dar certo na NBA, ele deve ser o próximo estrangeiro de sucesso da liga.

Pick 5: Mario Hezonja para o Orlando Magic. Uma ótima escolha, jogador completo, junto com Victor Oladipo tem tudo para reerguer a franquia. Mesmo com uma média baixa de pontos, rebotes e assistências (7.7, 2.0 e 1.0 respectivamente), o ala mostrou ser muito versátil e arremessa bolas de três com extrema facilidade, tem tudo para dar certo. 

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Charlotte 2017

2° vez que a cidade sedia o All Star Weekend
   Um anúncio formal realizado na terça feira (23), com o Comissário da NBA, Adam Silver e o proprietário do Charlotte Hornets, Michael Jordan, durante entrevista coletiva. Dirigentes e organização dos Hornets fizeram uma oferta formal no verão passado. Em comentários durante uma visita a Charlotte no ano passado, Silver disse que certamente Charlotte seria premiada com um All Star Weekend, depois de concordarem com várias melhorias e renovações na Time Warner Cable Arena. 
   Em dezembro Silver disse: "Pessoalmente, eu estou animado em voltar aqui. Eu não acho que há qualquer questão para acontecer. Apenas uma questão de que ano". A cidade concordou no ano passado em pagar 27,5 milhões de dólares para melhorias na arena. A NBA viu essas melhorias como a chave para qualquer ação All Star. O All Star Game é em meados de fevereiro, datas específicas para o evento de 2017 ainda não foram definidas. O All Star Game de 2016 será em Toronto, dia 14 de fevereiro.
Anúncio feito por Adam Silver e Michael Jordan
   Juntamente com o All Star Game de domingo a noite, o All Star Weekend inclui várias competições de habilidade (Campeonato de enterradas e Arremessos de três pontos), mais especificamente um jogo com uma seleção de jogadores do primeiro e segundo ano da NBA e um All Star Game da Liga de Desenvolvimento da NBA. Há também um festival para os fãs, que o Centro de Convenções de Charlotte deve sediar. Entre as estrelas que devem figurar no All Star Game de 2017, está Stephen Curry, armador do Golden State Warriors, MVP da liga, que cresceu em Charlotte e jogou por Davidson. All Star Weekends normalmente trazem milhares de fãs de todo o país. A liga usa o All Star Weekend como seu evento primário para a rede com patrocinadores, que consome muitos dos bilhetes. Mas donos de bilhetes da temporada regular dos Hornets, devem ter acesso a alguns eventos. 
   Os Hornets operam a Time Warner Cable Arena (19.077 lugares) em uma parceira pública-privada com a cidade. A cidade pagou 260 milhões de dólares para a construção da arena em 2005. Desde então já recebeu a Convenção Nacional Democrata, o torneio de basquete masculino da ACC e anualmente hospeda os torneios CIAA. Custos de construção e essas atualizações são pagas fora da taxa de ocupação motel-hotel. O centro da cidade de Charlotte tem 4568 quartos de hotel, de acordo com os parceiros do centro da cidade. Um adicional de 1900 quartos de hotel, ou estão sendo propostos ou estão em construção. Quartos de hotel disponíveis são um fator chave em qualquer ação All Star. Normalmente o evento preenche todos os quartos de hotel no mercado para quatro noites ou mais.
   Charlotte foi premiada anteriormente com o torneio de golfe PGA Championship, para agosto de 2017. A cidade hospedou o All Star Weekend uma vez, em 1991 no então demolido Charlotte Coliseum em Tyvola Road. Charles Barkley foi o MVP daquele jogo, com 17 pontos e 22 rebotes. Barkley foi titular ao lado de Michael Jordan (26 pontos) e o atual treinador adjunto dos Hornets, Patrcik Ewing (18 pontos e 10 rebotes).

segunda-feira, 22 de junho de 2015

D'Angelo Russell e o triângulo ofensivo

   D'Angelo Russell não estava familiarizado com o triângulo ofensivo, há algumas semanas, mas ele estudou durante uma sessão de filme com Phil Jackson neste mês. Em uma entrevista na última sexta-feira (19), disse: "Agora quando olho pra ele, Kobe teve grande sucesso com o mesmo. Os arremessos que ele tentou, os arremessos que ele fez fora nas mesmas áreas, tudo do ataque. Então, eu acho definitivamente que eu posso prosperar lá".
   Russell é esperado para ser uma escolha de TOP 3 nessa quinta feira (25). Sobre o treino com os Knicks disse: "Foi ótimo só por estar na Mecca. Foi o meu segundo treino. Só de estar em Nova Iorque foi um grande sentimento, e ter a oportunidade de trabalhar para uma das equipes mais conhecidas da NBA, foi simplesmente uma benção". Russell disse ainda que se reuniu com Phil Jackson e o treinador Derek Fisher durante o treino: "Eles fizeram um grande trabalho, abrindo as portas para mim e me deixando perguntar qualquer coisa que precisasse. Perguntei uma coisa que poderia fazer para me separar, e eles me deram algum grande conhecimento sobre isso. Eles são os maiores dos nomes dessa liga. Então sabem o que é preciso".
   Da maneira pela qual atuava em Ohio State, Russell tem razão em dizer que vai se adaptar ao triângulo, um jogador jovem, ágil, bom passador e arremessador, que sabe o momento certo de fazer determinada jogada. Com sua qualidade técnica é uma ótima escolha para os Knicks, ajudaria muito Carmelo Anthony e tem potencial para ser um nome forte na liga.